Darwin e as orquídeas

 

Charles Darwin (1809-1882), naturalista britânico e autor do livro “A origem das espécies” era um grande admirador das orquídeas principalmente pelo grau de evolução de suas espécies.

Certa vez ele recebeu de um amigo e colaborador uma orquídea vinda de Madagascar. A planta floresceu e ele reparou que o labelo da flor formava uma espécie de tubo nectário que media quase 30 centímetros. Em sua publicação “A fecundação das orquídeas” de 1862 ele supôs que em algum ponto de Madagascar, ilha que nunca visitou, deveria haver uma mariposa noturna (a flor emite um perfume intenso de noite) com uma espécie de tromba de 28 centímetros, adequada para extrair o néctar que fica na ponta do tubo nectário de sua flor. Na época chegou a ser ridicularizado por vários pesquisadores.

Algumas décadas após sua morte, dois entomólogos filmaram a mariposa-esfinge Xanthopan morgani ‘praedicta’. A mariposa esvoaçava acima da flor, desenrolava sua língua enorme e a introduzia no canal de néctar da orquídea que Darwin havia recebido. Tratava-se de um exemplar de Angraecum sesquipedale como o das fotos acima.