Espécies X híbridos

Uma informação importante para conhecer as orquídeas é saber a diferença entre espécies e híbridos.

São muito comuns aquelas orquídeas que se encontram a venda até em supermercados e que são muito utilizadas para decorar ambientes. Estas plantas são orquídeas híbridas, que os criadores desenvolvem após diversos cruzamentos artificiais entre plantas de espécies diferentes (e depois entre híbridos novamente) e quando chegam às características desejadas reproduzem inúmeros clones desta planta para serem comercializadas. São orquídeas fáceis de se cultivar e com flores muito atraentes, mas são como plantas “fabricadas”.

As espécies por sua vez são as que se encontram (ou se encontravam) na natureza espalhadas por todo o mundo. Elas atraem mais os colecionadores que podem falar sobre elas com outros orquidófilos (do mundo inteiro) e trocar informações valiosas sobre seu cultivo, sobre locais onde podem ser encontradas na natureza, etc.

Algumas delas tem características muito curiosas, como a do Catasetum cernuum (foto abaixo), cujas flores desenvolveram um cheiro desagradável para atrair seu principal agente polinizador que é a mosca.

Outra particularidade das espécies é que muitas delas tem histórias interessantes, como a Laelia lobata (foto abaixo) que até algumas décadas atrás, na sua época de floração, formavam grandes manchas de cor lilás no granito do Pão de Açúcar e da Pedra da Gávea no Rio de Janeiro, ou também o Angraecum sesquipedale, também conhecida como a orquídea de Darwin.